Voltar 

Muitas centenas de pessoas acorreram ao evento festivo da Festa da Castanha

                                                                           
                                                                           

 Sernancelhe já há alguns anos que se assumiu como a Capital da Castanha.

Para valorizar o fruto nobre do concelho, os produtores e as actividades a ele associadas, a Câmara Municipal organiza, a exemplo de outros anos, a Festa da Castanha, que se realizou em 2005 nos dias 29 e 30 de Outubro e que é o evento mais importante do concelho e da área dos 11 municípios da região dos Soutos da Lapa.

Revitalizada pela Câmara Municipal de Sernancelhe, em 2001, a Festa da Castanha, que já permitiu que
fossem conquistadas importantes parcelas de mercado, é hoje uma exposição aberta a todos, onde os promotores procuram aproximar quem produz de quem consome, ou seja, para que os produtores transaccionem a castanha, contactem com os consumidores e sintam que o produto é valorizado.

Para além disso, a ideia, é unir, comunicar, animar e desenvolver o convívio com a população concelhia e arredores.
O título de Capital da Castanha “advém do facto de a castanha de Sernancelhe ser, de facto, uma das melhores do mundo. É considerada única no sabor e na textura e inigualável nas propriedades culinárias. É cada vez mais procurada para confecção de doces e compotas e há mercados que consomem única e exclusivamente as nossas castanhas. Destacam-se as variedades de martaínha e longal, duas das mais produzidas e das mais procuradas.
 No aspecto paisagístico e caracterizador do concelho, Sernancelhe impressiona pelos enormes soutos de castanheiros que ocupam as encostas das serras. São hectares e hectares de novas e velhas plantações que garantem a subsistência de muitas famílias a este concelho.

A novidade da Festa é a localização do evento, pois, pela primeira vez, foi realizada no novo recinto da feira quinzenal, junto à Central de Camionagem e ao novo Centro de Saúde. Os stands das várias freguesias e também uns outros comerciais da região ganham uma atracção peculiar com imenso espaço para passear, diversão e convívio entre amigos.

Os concursos da melhor castanha, da melhor montra e do melhor doce de castanha foram também instituídos e divulgados, para salientar que sem dúvida Sernancelhe é, com toda a certeza, a Capital da Castanha.
 Eleger a melhor castanha é incentivar os produtores a produzirem com qualidade, a apurarem as variedades, a preservarem os soutos e a modernizarem as actividades agrícolas. Eleger a melhor montra é estimular o comércio local, chamar à atenção dos consumidores para o cuidado depositado na decoração dos espaços e é mostrar Sernancelhe unido em torno da castanha.

Eleger o melhor doce é, essencialmente, revitalizar os usos e costumes da nossa cozinha, trazer para as ementas dos restaurantes os pratos com castanha e definir e apurar as particularidades da nossa gastronomia e colocar Sernancelhe no mapa gastronómico de Portugal.
Em termos económicos a castanha é muito importante. De Sernancelhe partem castanhas para os quatro cantos do mundo, encomendadas muitos meses antes. “Todas as famílias buscam na castanha uma forma de conseguir amealhar dinheiro importante para o dia-a-dia.
 Graças à castanha surgiram já unidades de transformação no concelho, que garantem o escoamento de produto e asseguram a estabilização do preço, o que evita oscilações penalizadoras para os produtores.

Em exposição estiveram cerca de duas dezenas e meia de stands.
Desde logo, 17 serão foram ocupados pelas respectivas freguesias do concelho, que expuseram a sua castanha, as suas tradições, os seus usos e costumes.

Outros Stands foram ocupados por empresas da região que, de alguma forma, estarão associadas à castanha.

Foram dois dias repletos de animação para todos os Sernancelhenses que quiseram participar, e que
marcaram importante presença as bandas musicais de

 Sernancelhe e Ferreirim, os tocadores de concertinas e fados à desgarrada, e o novo conjunto animador "Os Cucos Malandros", da Tabosa da Cunha.
 

  Voltar